Os Vingadores -Guerra Infinita

Para os fãs que assistirem a “Vingadores: Guerra Infinita” não terão nenhuma surpresa. Mesmo que a
conclusão  em partes  de uma história que a Marvel constrói há 10 anos nos cinemas não dê conta do recado, a habilidade que os estúdios da editora têm em contar uma história coesa e com sentimentos entre tantas batalhas e explosões é notável. No filme, os irmãos Anthony e Joseph Russo já haviam mostrado que sabem unir diferentes histórias em “Capitão América: Guerra Civil” (2016), mas provam agora que refinaram suas habilidades com o tempo. Afinal, conseguem um resultado muito superior neste terceiro “Vingadores”, no qual o desafio era infinitamente maior.

Isso porque, dessa vez,não são apenas os integrantes da super equipe  como Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Thor (Chris Hemsworth) ou Capitão América (Chris Evans) – que dão as caras.
Com a presença de quase todos os heróis da Marvel nos cinemas, incluindo os Guardiões da Galáxia, a
ação se espalha por quase todo o universo. Esta turma vai unir forças para impedir – ou tentar, pelo menos – que o titã Thanos (Josh Brolin), articulador por trás de diversos vilões em filmes desde o primeiro “Vingadores” (2012), finalmente consiga seu objetivo de coletar artefatos poderosos para
erradicar metade de toda a existência. Com isso em mente, é bom lembrar desde o começo: ninguém está seguro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.