Grupo ASA prepara 36º Chá Beneficente

Tradicional evento acontece na APAE em prol da continuidade das ações.

No domingo, dia 09 de junho, o Grupo ASA (Amizade, Solidariedade e Amor) de Ituverava, promove o tradicional Chá Beneficente em prol de seus pacientes. O evento está na sua 36º edição e acontece no Salão
de Festas da Apae de Ituverava (Núcleo Sócio Educativo Dr. Paulo Borges de Oliveira) das 14:30 às 18:00 horas.
“O objetivo do evento é  estar angariando fundos para que nós possamos continuar a nossa jornada para podermos melhor atender nossos pacientes. Agora nós estamos também ajudando ao Hospital de Câncer de Franca e os
pacientes deste hospital.”, adianta Luiza Helena Ferreira, presidente do Grupo. Segundo ela, no entanto, o evento é fundamental para continuidade dos trabalhos do ASA. “Graças ao nosso trabalho, à nossa transparência, à nossa luta, à nossa garra e dedicação, os nossos chás se tornaram tradicionais na cidade e muito importante para o
Grupo, para os doadores, para os pacientes e para todas aquelas pessoas que vão lá participar conosco, pois tornou-se um evento bem legal e esperado dentro da cidade”, ressalta a presidente. Luiza adianta os prêmios
principais que serão sorteados durante o Chá Beneficente: uma televisão 43 polegadas smart, um fogão quatro bocas e um forno micro-ondas, além de cerca de 200 brindes doados pelo comércio de Ituverava. Para adquirir o ingresso no valor de R$ 25,00, basta procurar as várias voluntárias que estão vendendo ou mesmo na sede do Grupo
ASA, além de poder também comprar no dia do evento pela portaria. Grupo ASA O Grupo Asa assiste em
torno de 180 pessoas, número que pode ter aumentado recentemente devido aos pacientes do Hospital de Câncer de Franca, além daqueles que fazem tratamento no Hospital do Amor de Barretos. A entidade, porém, já
tem seu trabalho reconhecido pela comunidade, oferecendo aos assistidos medicamentos, fraldas, suplemento alimentar, cestas básicas e cestas diferenciadas entre outras doações diversas, conforme o paciente
esteja precisando. “Cada paciente é uma necessidade, então às vezes tem algum que a gente paga conta de água ou energia, muitas vezes combustível para abastecer carro para a pessoa ir ao tratamento, nos casos que não podem ir
de maca ou de van, enfim o que precisar até hoje nós não falamos não, atendemos sim graças a Deus”,
define dona Luiza.