Milhares participam das comemorações do Dia da Padroeira

Tradicional Quermesse contou com média de 1.600 pessoas por dia

Na noite de terça-feira, 16  de julho, feriado municipal, quando Ituverava comemorou o Dia da Padroeira  Nossa Senhora do Carmo e aniversário de 201 anos da fundação do município, encerraram as comemorações  da tradicional Festa da Padroeira. Na oportunidade, aconteceu o encerramento da
famosa Quermesse e da Programação  Religiosa que culminou com procissão seguida de missa solene na Igreja  Matriz que tem o nome da Santa, unindo a comunidade. Para o pároco, padre Carlos Henrique da Silva Souza, “a  avaliação só pode ser das melhores”. Segundo ele, houve uma participação maciça nas  festividades da padroeira.  “Na Novena e no dia 16, nosso povo e os devotos da Senhora do Carmo vieram  todos os dias e participaram muito ativamente”, lembrou. A Igreja Matriz ficou cheia todos os dias da Novena.  “No dia 16 parecia um mar de gente no local”, contou o padre. “Sem contar como foi boa  a Alvorada em homenagem à padroeira, a carreata seguida da Missa e a Oração do Terço e o Ofício de Nossa Senhora.  Penso que foram tantos momentos em que tivemos a oportunidade de crescer na
fé e perceber as maravilhas  de Deus em tantas graças e milagres que aconteceram”, acrescentou Carlos.
Para o pároco, no entanto,  esse sucesso só foi possível porque, “em primeiro lugar, confiamos na bondade, fidelidade  e misericórdia de Deus. Ele é quem conduz tudo e tudo procuramos fazer para Ele.”
“Ninguém faz para aparecer.  Em segundo lugar porque tudo é consagrado nas mãos intercessoras de
Nossa Querida Mãe, a Senhora  do Carmo, que a 201 anos preside nossa amada Ituverava. Depois contamos  com pessoas envolvidas e comprometidas. Uma excelente equipe de organização e preparação.  Procuramos trabalhar com humildade, espírito de comunhão e unidade, sem excluir  ninguém. Queremos fazer sempre para Deus”, descreveu. O padre acredita que a grande motivação da participação  das pessoas nas festividades de Nossa Senhora do Carmo é pelo fato de ser uma festa  tradicional na nossa cidade. “As pessoas amam esse momento, esperam pelo mês de julho para terem uma  oportunidade de uma festa onde tem lugar para todos. Deve-se também ao fato de ser uma festa séria e, totalmente  de cunho fraterno. Os voluntários e os participantes da festa são engajados e comprometidos  e todos querem ajudar a Igreja”, comenta Carlos. A quermesse contou com uma média de 1.600 pessoas  por dia e contou com diversas atrações com comidas típicas, bebidas, leilão, noites  premiadas, shows musicais entre outras. Também participaram o padre Luan Marques Domingues  e o diácono João Batista Nogueira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *